Uma carta para alguém no fundo da gaveta…

Bons dias!!!!

Como acordaste hoje? Bem?…Pronto para enfrentar a selva de cimento?

Eu acordei bem, mas dormi mal, muitos sonhos parvos parecem novelas de 5.º categoria com muito enredo e sem grand finalle. Levantei da cama, liguei o pc e comecei o dia em toque de musica, falei um bocadinho com as minhas amigas pelo Messenger. Bebi um copo de leite para empurrar as pirulas… olho pela janela e vejo uma nuvem imensa sobre a praia…

(raios!!!!…queria ficar lagartixa ao sol!) , como é??!!

Praguejei a janela, o S. Pedro deve estar chateado comigo. Mesmo assim arrumo a mala, coloco a toalha, o ipod, telemóvel e um livro que comprei à séculos e ainda não tinha oportunidade de o ler.

Na praia:

Agora refastelada na areia húmida olho para os estranhos que me miram, é sempre assim quando alguém novo entra na praia… Quem será?Virá sozinha? O que trás vestido? Quem será? É da terra? …tento enquadrar-me no meio rapidamente e mantenho-me quieta, daqui a pouco deixam de olhar, (penso!).

Olho o horizonte, o nevoeiro agora dissipa-se por magia e o verão retoma, sinto o quente do sol na cara e penso para mim…

– Isto sim!!! É qualidade de vida….

O cheiro do mar, o bater das ondas pequeninas, o som de crianças a brincar, e o motor de um barco lá ao fundo transmitem-me e dão-me uma calma.

Sinto-me serena, felizmente há dias assim, há noites que lavam o dia que passou, outras que terminam pelo dia a dentro, agora os meus olhos fecham e inspiro este momento que tantas vezes anseio quando estou sentada a secretaria, vêem-me momentos passados à memoria e que me enchem o coração, está tudo bem (penso…), todos os que amo estão bem, o momento não podia deixar de ser perfeito.

Hoje tenho saudades do que está para vir, depois deste dia, estou positiva e sei que o que há de vir será algo de bom.

– Sei sim…sinto-me grata.

Será que isto é estar e sentir-se vivo? Sentirmo-nos vivos receptivos e confiantes com o que há de aparecer, acolher as coisas de braços abertos..

Provavelmente estou a ter um ataque de tolice, não importa o que pensas, apetece-me preencher-me de alegrias, emoções, sensações e momentos de felicidade ao ponto de derramar lágrimas de satisfação. Tudo sem medo, ressentimento ou tormentos. Sentimentos esses que deviam vir com uma tecla de “delete” anexada, mas quem sabe eles existem para nos apercebermos de que os bons momentos devem ser aproveitados ao segundo.

 Fui assolada por mais uma recordação, uma noite de verão numa esplanada com a lua espelhada num mar calmo, a temperatura perfeita, um Mateus Rosé* fresco, curiosamente uma casa cheia de palavras e gentes e eu senti-me sozinha contigo, a minha pele está seca e arrepanhada da agua do mar, os pés ainda com areia não incomodavam…uma excelente conversa e uma ânsia que a noite não acabasse.

Um beijo, espero que tenhas um dia tão fantástico como o meu.

Madalena

 

3 pensamentos sobre “Uma carta para alguém no fundo da gaveta…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s